Indice
Indice

Nomenclatura de um veleiro

Um barco é constituído por um casco, no qual se fixam inferiormente o patilhão e o leme, chamando-se à parte imersa as obras vivas e a parte fora da água obras mortas. No casco são fixados superiormente a coberta, onde está o equipamento para controlar as velas e o mastro. Este passa pela coberta através de um orifício chamado enora e é fixado sobre a quilha na carlinga.
A parte da frente do barco chama-se vante ou proa, a parte de trás ré ou popa e a zona central meio – navio ou través.
Considerando a embarcação dividida longitudinalmente ao meio, do lado esquerdo de quem olha para vante está o bombordo e à direita o estibordo. As amuras são as zonas do casco entre a proa e o ponto médio do casco (través) e as alhetas as partes laterais de trás do casco.
A popa termina com um painel da popa. A balaustrada está disposta ao longo de toda a borda do casco para evitar quedas acidentais à água. Entra-se na cabina do barco através de uma escotilha e é por albois que a luz entra naquela.

amura alhetas nomes

O aparelho fixo é o conjunto de cabos e peças de poleame definitivamente ligados a mastros, vergas, etc.
O mastro é suportado para a frente pelo estai e para trás pelo contra – estai ou Back Estai. Lateralmente é fixado pelos brandais que passam pelos vaus, para uma melhor estabilidade e curvatura do mesmo.
Alguns destes cabos podem ser de afinação do mastro. Assim o contra - estai provoca o encurvamento do mastro, afectando a afinação da vela grande e a tensão na testa do estai.
Os brandais volantes puxam o mastro para trás, deslocando o centro vélico para a ré e esticando o estai.

Ao conjunto propulsor dos veleiros, velame, massame e poleame, dá-se o nome de aparelho.
O velame é o conjunto dos panos ou velas. Consoante o tipo de vento ou barco podem variar e apresentar várias formas e materiais.
O massame é os cabos que se empregam nas embarcações, como escotas ou adriças. Às peças, sejam de madeira, ferro ou plástico, por onde correm os cabos, dá-se o nome de poleame. São exemplo disso os moitões.
As velas são subidas ou içadas por adriças. As adriças passam normalmente pelo interior dos mastros, passando sobre a coberta até ao poço onde são fixas nos cunhos. As escotas servem para afinar a posição das velas. A escota da vela grande está fixa à retranca e corre num carrinho depois de passar por um sistema desmultiplicador. As velas de estai têm duas escotas que passam cada uma por seu bordo até ao poço.
Para caçar os cabos usam-se molinetes que são girados com manivelas. O pau de palanque ou pau de spi, depois de fixado ao mastro, é mantido horizontalmente através de dois cabos: O amantilho, que o mantém suspenso, e o gaio que não deixa que o pau suba.
Os veleiros também se classificam quanto ao tipo de aparelho. Um ou mais mastros, as vergas e o tipo de panos que envergam diferem na nomenclatura. Nos barcos de recreio os mais vulgares são os sloop, de um só mastro, ou os ketch ou iole, de dois mastros.

nomes2 nomes3

REGULAMENTO DA NÁUTICA DE RECREIO
Decreto de lei Nº122 de 25 de Maio de 2004
Download

nomenclatura

Confira a nomenclatura do seu veleiro Clique aqui...

Velas Basicamente existem dois tipos de velas. As redondas e as latinas. As velas redondas são aquelas que se envergam em vergas que cruzam na horizontal e no sentido transversal da embarcação, enquanto que as latinas envergam-se normalmente em mastros, caranguejas ou estais e trabalham no sentido proa - popa. Estas podem ser triangulares ou quadrângulares. Os vértices ou punhos de uma vela têm nomes que as distinguem.

Punho da amura - fica inferiormente junto ao mastro ou ao estai.
Punho da boca - numa vela quadrangular, é o punho superior situado junto ao mastro.
Punho da escota - punho onde trabalham as escotas.
Punho do gurutil - nas velas redondas, fica nos extremos do gurutil.
Punho da pena ou adriça - nas velas triangulares, é o punho pelo qual é içada a vela.
Nas quadrangulares é o punho superior e exterior.

Esteira - a parte inferior da vela.
Gurutil - nas velas triangulares é o lado que enverga no estai. Nas restantes é o lado que liga à verga.
Testa - nas velas latinas é a parte que encosta ao mastro e nas redondas os lados que ficam de cima para baixo.
Valuma - lado de uma vela latina que fica para o lado da popa.

barco nomenclatura

 

vela nomenclatura

O spinnacker ou balão é uma vela triangular um pouco especial.
A sua nomenclatura não foge à regra geral mas alguns nomes podem variar conforme a mareação. A alanta passa pelo pau de spi e a escota é fixa no punho oposto.
Quando o pau é trocado de amura, a escota passa a ser aquela que anteriormente se chamava alanta e vice-versa. Isto é apenas uma questão de nomes já que não se troca nenhum cabo durante ou depois da manobra. São estas alterações que originam a alternância dos nomes neste tipo de velas.

Indice